quarta-feira, 23 de novembro de 2016

ENTREVISTA COM A POMBAGIRA (Mãe Fabiana de Oxum)


Entrevista com a Pombagira é o nome do livro ditado pela Pombagira 7 Saias por meio da experiente médium Mãe Fabiana de Oxum.

Com linguagem simples e profunda, a Pombagira discorre sobre o universo das entidades, seu trabalho no mundo espiritual, atuação em terreiros e comunidades que as invocam e questões ligadas ao aspecto feminino.

Por que a entidade fuma? Por que Exus e Pombagiras usam vermelho e preto?  O que é uma amarração? Quais os efeitos de um trabalho negativo para o médium? Pombagira é mulher de exu?
Essas e outras perguntas são respondidas neste livro, uma leitura que mudará o conceito dos leigos sobre as Pombagiras e ampliará a visão dos que a conhecem em profundidade.

Por: Mãe Fabiana de Oxum

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

UMBANDA UM NOVO OLHAR (Maria Teodora Ribeiro Guimarães)



Baseado no legado de Roger Feraudy, e a seu pedido, a intenção deste livro é lançar um novo modelo, um novo olhar sobre a Umbanda e sobre a Espiritualidade como um todo, desde seus conceitos básicos, passando pela caridade e indo até considerações mais sofisticadas sobre assuntos como: quem somos nós, de onde viemos e para onde vamos.

É mais que tempo de os homens da Terra, quase todos filhos das estrelas, voltarem seus olhos para a história divina de nosso planeta, que se mescla com a história da própria Umbanda, repleta de ensinamentos de entidades maravilhosas, de inimaginável evolução espiritual; voltarem seus olhos e, além de tentarem entender o que realmente se passa nesse mundo invisível, nos meandros dessa magia cósmica na qual estamos todos inseridos, imitarem os exemplos de bondade infinita, até que esses iluminados seres siderais possam voltar a nos guiar numa nova civilização.

É chegada a hora daqueles que têm compromisso cármico ativo com a magia, ou seja, os umbandistas, estudarem mais, não apenas para lidar com a magia sem ganhar um carma, mas também para que o paradigma da Umbanda passiva seja modificado; compreenderem as verdades ocultas, a fim de liberar a verdadeira Umbanda da miscigenação com outros cultos e rituais que a ela se enredaram, tornando-se então agentes do entendimento universal. 

É chegada a hora de o homem comum aprender a fazer seus próprios milagres.

Por: Maria Teodora Ribeiro Guimarães

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

POVO DE ARUANDA (Flávio Penteado)



Sempre me interessei pelo lado místico da vida e seus “porquês”, isso me fez um estudioso da religião de Umbanda e de outras que ajudaram no surgimento desta que é a religião que tem como objetivo universalizar a espiritualidade.
Através de uma conversa despretensiosa, com um guia espiritual que trabalha na Umbanda, fiquei sabendo de suas histórias e aquilo me aguçou ainda mais minha curiosidade e o interesse em buscar mais histórias.
Quem nunca quis saber quem foi o Caboclo Sete Encruzilhadas, o Pai Benedito, o Exu Tiriri e tantos outros trabalhadores da Luz que vem à nossa querida Umbanda nos ajudar em nossa caminhada?
Povo De Aruanda é o fruto desta pesquisa sobre Orixás e Guias Espirituais que trabalham na Umbanda.
Reuni em um único livro diversas histórias, que além de saciar a curiosidade dos leitores, traz um pouco de informação que poderão ser utilizadas em seus dia a dia.
Muitas lendas e estórias trazem uma verdade no seu enredo, porém cabe a cada leitor, fazer suas interpretações e tirar suas próprias conclusões.
Tentar desmistificar um pouco estes trabalhadores da luz sobre as ordens e leis divinas. Mostrando que a Umbanda não se trata de uma seita e nem um culto satânico. Que a Umbanda busca o bem, através da caridade e do amor ao próximo. Foi meu objetivo
Um livro onde o leitor possa escolher as histórias que pretende ler primeiro, sem a necessidade de uma leitura corrida.
Desvende este mundo de mistérios e conhecimento que envolve esta maravilhosa religião de Umbanda.
  
Por: Flávio Penteado

terça-feira, 8 de novembro de 2016

O AMANHÃ NOS PERTENCE (Osmar Barbosa)



Parei para pesquisar o significado de família...
No dicionário diz que família é um conjunto de ascendentes, descendentes, colaterais e afins de uma linhagem. Grupo de indivíduos, constituído pelo mesmo sangue.
E não é bem assim. Família é um grupo de pessoas, que dividi o mesmo gosto pela vida.
Que divide o mesmo sentimento. Que não importa não dividir o mesmo sangue. 
Mas consegue tornar-se um para o outro mais que isso... 
Ajudando, dando apoio... Sendo como dizemos... Irmãos
Tem pessoas que são tão parecidas... Que não precisa ter a mesma descendência.
Sabe quando é necessário seu conselho... Quando é preciso rir e se divertir.
Ou até mesmo dividir as mesmas lágrimas...
As pessoas que amamos, quando passamos a conhecer...
Que percebemos que tem mais em comum que apenas laços de sangue...
São essas pessoas que passam a se tornar essenciais em nossas vidas.
Irmãos... Primos... Tios... Tias...
Apenas por dividir os mesmos sentimentos... Como tudo isso acontece? Como escolhi meus pais? Meus amigos? Será que eu pude escolher os meus pais? Como os encontros são arquitetados pela espiritualidade? Porque nasci nesta família? Porque meu pai é meu pai e minha mãe é minha mãe? Porque tanta dificuldade em viver com meus familiares? Porque os casamentos se frustram? Será que sou diferente? Será que é uma bênção?  Ou será um castigo? Amigo leitor eu vos convido a descobrir como tudo isso é organizado antes de nossa vida atual, venha comigo. Nós precisamos ter a consciência que O Amanhã nos Pertence.

Por: Osmar Barbosa

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

COMPADRES E COMADRES - SETE HISTÓRIAS DE EXUS E POMBOGIRAS (Ademir Barbosa Júnior)



Na primeira semana de novembro chega às livrarias o livro “Compadres e comadres – Sete Histórias de Exus e Pombogiras” (Sattva Editora, 84 páginas), 60º. livro de Ademir Barbosa Júnior (Pai Dermes de Xangô).

Dermes é autor de vários livros premiados que vão da poesia e do infantil aos trabalhos sobre as religiões tradicionais de terreiro (Orixás, Guias, Guardiões, Umbanda, Candomblé etc.). Três de seus livros saem ainda este ano pela editora portuguesa Estampa. Além disso, Dermes assina 38 revistas especializadas (Língua, Literatura, Redação, Terapias Holísticas e outros temas.

“Compadres” e “Comadres” são formas carinhosas e populares com que são tratados nos terreiros de Umbanda Exus e Pombogiras. “No que tange às religiões tradicionais de terreiro, a maior incompreensão talvez seja com as linhas de trabalhos de Exus e Pombogiras, os quais não tiram nada de ninguém, não separam casais, não trazem desgraça. São agentes de luz nas trevas. Infelizmente muitos segmentos religiosos chamam espíritos não esclarecidos de Exus e Pombogiras”, explica o autor.

As sete histórias que compõem o livro tratam de resgates, de novas oportunidades, não apenas para os encarnados, mas para os próprios espíritos que compõem a chamada Linha da Esquerda na Umbanda. Dentre as narrativas, destaca-se a comovente história de um Exu Mirim. 

“Trata-se de obra de ficção, não de psicografia, mas quase a totalidade do livro foi ditada, como uma mensagem de esperança e regeneração. Somos todos aprendizes. Ora, se Deus é amor, como negaria o perdão e a oportunidade do recomeço? Ademais, se a religião é voltada para o bem, como na Umbanda haveria espíritos que fazem o mal, em vez de, enquanto evoluem, ajudar o próximo a também evoluir?”, esclarece o autor.

“Compadres e comadres – Sete Histórias de Exus e Pombogiras” é o primeiro livro publicado pela recém-fundada Sattva, dirigida pela experiente editora Vivian Lerner. 

O autor é um dos dirigentes da Tenda de Umbanda Iansã Matamba e Caboclo Jiboia (TUIMCAJ), presidida por sua esposa, a escritora e blogueira Mãe Karol Souza Barbosa. É Mestre em Literatura Brasileira pela USP, onde se graduou em Letras, professor e terapeuta holístico. Já coordenou fóruns, eventos, festas públicas e outros, congregando Umbanda, Candomblé, Pastoral Afro (Igreja Católica), MPB, Ioga, Dança do Ventre e outros segmentos. É presidente da Associação Brasileira de Escritores Afro-religiosos (Abeafro). Nasceu em Piracicaba – SP, no dia 02 de agosto de 1972. Recebeu o Troféu Abolição – Instituto Educacional Ginga (Câmara Municipal de Limeira, 27 de julho de 2012); o Diploma Cultura de Paz – Fundação Graça Muniz (Salvador, 07 de março de 2013); o Diploma Zumbi dos Palmares (Câmara Municipal de Campinas, 20/11/2014) e o Troféu 1º. Jovens do Axé (Câmara Municipal de São Paulo, 07/10/2015). Em 2014 presidiu o Fórum Internacional de Umbanda, em Leiria, Portugal. É presidente da Associação Brasileira de Escritores Afro-religiosos (Abeafro). Recebeu o Troféu Abolição – Instituto Educacional Ginga (Câmara Municipal de Limeira,2012); o Diploma Cultura de Paz – Fundação Graça Muniz (Salvador, 2013); o Diploma Zumbi dos Palmares (Câmara Municipal de Campinas, 2014) e o Troféu 1º. Jovens do Axé (Câmara Municipal de São Paulo, 2015). Em 2014 presidiu o Fórum Internacional de Umbanda, em Leiria, Portugal. Em 2015 foi nomeado vice-presidente do Fórum Catarinense de Umbanda e foi um dos palestrantes do 1º. Simpósio On-line de Umbanda.

Trecho do livro:

“No astral, ajudo num hospital para onde vão mulheres que desencarnam queimadas, estupradas, cortadas. Sabia, moço, que a maioria delas se sente culpada, acha que fez algo errado e que os homens são inocentes, que elas provocaram a violência? Não é triste ver essas mulheres assim, duplamente violentadas. Aqui na sua cidade aconteceu o desencarne de uma moça queimada com ácido e depois esfaqueada, o moço deve conhecer. Ela está reconstituída, linda, plasmada em espírito como a linda mulher que era em terra. O noivo achava que ela tinha vários amantes e ela era fiel. Mesmo que tivesse, moço, isso não lhe daria o direito de fazer o que fez com ela. Por nada nesse mundo. O pior é que ele, sim, tinha várias. Não à toa foi morto por um cafetão descontente, que o achava prosa demais. Sabe quem o recebeu do lado de cá?  A noiva que ele assassinou. Linda, curada, cheia de misericórdia e compaixão, o que ele, encarnado, nunca teve com ela.” (“Sete Saias do Cabaré”, p. 48)

Por: Ademir Barbosa Júnior

O PODER DAS FOLHAS (Diego de Oxóssi)


Aprenda os segredos e mistérios de como criar banhos, defumações e rituais mágicos através do poder das plantas e folhas sagradas em O PODER DAS FOLHAS.

A natureza carrega em si um universo de segredos e encantos e é a partir de seus mistérios que são criados os mais poderosos remédios para o corpo e para a alma - afinal, se o corpo adoece, é porque o espírito padece. Nas palavras de Maria Bethânia, "Salvem as folhas brasileiras! Salvem as folhas para mim! Se me der a folha certa, e eu cantar como aprendi, vou livrar a Terra inteira de tudo que é ruim!".

Desde os tempos ancestrais a Natureza tem sido fonte de magia, de cura e de reencontro com o Sagrado. Os índios, os negros e os europeus sempre recorreram ao poder oculto dos folhas sagradas para a realização de seus rituais e para louvarem a magia da vida.

Ao ensinar como identificar e classificar as folhas e seu poder de atuação, como combiná-las para criar suas próprias receitas mágicas e como despertar seu poder sagrado, Diego de Oxóssi leva você a descobrir esse novo e complexo universo, adentrando os segredos e mistérios da magia natural.

É chegada a hora de despertar a magia que há dentro de você. Garanta o seu exemplar em pré-venda, com bônus e presentes exclusivos, CLICANDO AQUI.

Por: Diego de Oxóssi

BREVIÁRIO DE BENZEDURAS (Douglas Rainho & Rodrigo Klukiewicz)



O Breviário de Benzeduras e Orações Compilado – Volume I foi organizado por Douglas Rainho e por Rodrigo Klukiewicz, em um esforço conjunto para manter viva a tradição do benzimento.

Dividido em duas partes, sendo a parte primeira focada na teoria por trás da benzedura e a resposta de alguns conceitos e a parte segunda trazendo um compilado de benzimentos populares para diversos fins.

Os benzimentos foram coletados de diversas fontes, por meio da oralidade e da prática. Em alguns estados do país o benzimento é reconhecido como patrimônio cultural e os benzedores são tidos como “profissionais de saúde” pelo bem que prestam pela comunidade.

Esse é um projeto que contará no futuro com outros volumes e que é inteiramente gratuito, com o único objetivo de manter viva essa tradição e perpetuá-la para as próximas gerações.

A arte da capa foi também desenvolvida pelo artista Rodrigo Klukiewicz.

Por: Douglas Rainho


sábado, 5 de novembro de 2016

O LIVRO BÁSICO DOS OGÃS (Sandro da Costa Mattos)



Fruto de estudos e pesquisas feitos tanto in-loco quanto através de narrativas históricas ou da elucidação obtida por intermédio do Caboclo Boiadeiro da Jurema, os registros de “O livro básico dos Ogãs” procuram obedecer a uma cronologia que passa por cerimônias datadas da Antigüidade, chegando à era contemporânea. O texto realça a importância dos instrumentos musicais no estabelecimento de elos de ligação entre os homens em seu mundo terreno e os seres das incontáveis esferas do plano extrafísico, quer sejam dos estratos mais refinados, quer sejam dos mais densos – pois é de conhecimento geral que em todos os ritos de que se tem informação vemo-los presentes, seja no retininte badalar de um sino, nos acordes de uma lira, no soprar de um oboé, seja no som grave ou agudo dos tambores. Aqui nos deparamos com o preenchimento de uma lacuna, há muito esquecida ou ignorada e que, certamente, irá elucidar ou suprimir muitas dúvidas nas respostas não obtidas dos líderes acomodados à simples prática da mediunidade ou de liturgias herdadas e repetidas sem questionamento, ou, pior ainda, daqueles que não reúnem a mínima condição de fazê-lo por também desconhecer as verdades.

Por: Sandro da Costa Mattos

CASOS REAIS ACONTECIDOS NA UMBANDA (Silvio da Costa Mattos)




“Casos Reais Acontecidos na Umbanda” é um livro de registros de fatos, descritos em forma de contos, fruto de relatos testemunhados 'in loco' pelo seu autor ou por intermédio de pessoas idôneas, de sacerdotes, de estudiosos, de escritores especializados na área, de dirigentes de órgãos credenciados como escolas, federações, associações e confrarias que funcionam como verdadeiros laboratórios em que os experimentos permitem uma análise mais apurada da ciência ligada à paranormalidade (Metafísica) e à mediunidade, através de entidades espirituais, pela vivência de seu narrador em seus 51 anos ininterruptos de aplicações, ensaios e pesquisas no âmbito do Espiritismo e da Umbanda e por outros meios que proporcionaram a aproximação ao conhecimento de ações tidas como verdadeiros milagres, assim como por meio das ocorrências que denotam incomparáveis lições de conduta, por intermédio da apreciação de fenômenos classificados como de efeitos físicos ou mecânicos, pela falta de respeito e devido à ineficiência de alguns, que por desafiarem às fórmulas eficazes e utilizáveis para a obtenção de resultados positivos tiveram que enfrentar dissabores e consequências inesperadas, e, de forma audaciosa mas aliada à uma verdade inconteste, mostrando o lado oposto da moeda em que se inserem alguns despautérios resultantes de expressões destituídas da razão e do bom senso que não devem ser ocultadas, para que, tanto os antigos quanto os novos adeptos não venham a ser vítimas das ações impostas por alguns charlatões, os quais, como incuráveis chagas, infelizmente se encontram infiltrados na região locupletando-se e promovendo-se à custa da ingenuidade e do desespero de pessoas honestas e fiéis que não sabem como agir diante dos desafios que lhes são impingidos pela vida e, por isso, terminam sendo ludibriadas através de suas táticas, artimanhas e digressões.

Por: Silvio da Costa Mattos

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

EM BUSCA DO INFINITO (Leandro José Severgnini)



Esta obra vem confrontar alguns paradigmas que tem ditado o estilo de vida ocidental: o paradigma religioso, dualista que coloca o homem distante do seu Criador: e o paradigma científico materialista que, em primeiro lugar, coloca a vida como um acaso desprovido de propósito e, em segundo lugar, ignora totalmente as experiências místicas e paranormais que ocorrem ao redor do mundo, levando-as, precipitadamente, à conta de charlatanismo.

O objetivo central da obra, contudo, é somar àqueles que buscam aprimorar-se através do autoconhecimento. Para isso, trazemos reflexões profundas sobre o nosso ser, nosso comportamento e alguns condicionamentos que entravam a evolução espiritual do ser humano. Claro que para um objetivo tão elevado, associamos conceitos trazidos pelo espiritismo ocidental e pelas doutrinas e religiões orientais.

Ao termino da obra e com toda a riqueza de conteúdo que será exposta, esperamos que o leitor encontre respostas satisfatórias para as tradicionais perguntas “de onde viemos?” e “para onde vamos?”.

Não nutrimos a pretensão de que esta obra contenha todas as verdades sobre o assunto: antes, esforçamo-nos para instruir de modo didático e acessível todos aqueles que buscam o infinito que existe em si.

Por: Leandro José Severgnini

A TRAJETÓRIA DE UM GUARDIÃO VIKING (Silvio da Costa Mattos)




Esta obra mostra de maneira sintética o extenso universo de tramas em que Surgat Krone, um viking dinamarquês, se viu envolvido, até que, na busca de um caminho evolutivo, conseguisse se firmar como um respeitado Exu de Lei: Sete Portas. Na existência terrena, ele era um homem arraigado a um orgulho e a uma arrogância sem igual, prevalecendo-se de algumas vantagens oferecidas por sua natureza física. Ele sempre conquistou tudo o que almejava pelo uso da força bruta e por certas habilidades naturais que o faziam ser 'superior' aos demais elementos de sua tribo. Sua trajetória pós-morte, pelas sendas da expurgação por meio das quais necessitou banir as impurezas de sua alma, é forte exemplo de que a misericórdia divina jamais se nega ao perdão ou abandona os filhos desgarrados do amor. Porém, tal complacência não nos exime de colher aquilo que por nós mesmos foi plantado, pois sabemos que 'a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória'.

Conheça a trajetória desse guardião viking, o Exu Sete Portas, que, dentro das limitações que suas vibrações atuais lhe permitem, não esconde as máculas carregadas no passado, pois entende que suas revelações servirão de alerta àqueles que ainda ousam descrer da onipotência, da onisciência e da onipresença de Deus.

Por: Silvio da Costa Mattos